garota-bi-ou-nao disse: Hoje é seu aniversário? Haha

Não, baby.

#umdomingoqualquer

#umdomingoqualquer

Beijo/carinho, no pescoço
me arrepia inteiro
me ganha inteiro

Tenho esses sonhos, esses mimos criados nas cenas de um filme, essas fantasias que nascem no meio da madrugada, e, então boy, chega por trás, agarra na minha cintura e rasteja o nariz e a boca pelo pescoço, capturando, farejando cada parte minha (tão sua), do que sou (porque sou seu), de cada toque (criado por ti), em você (sou eu).

Agarra na cintura, boy, e me doma pelo pescoço.  

(Fonte: maisaltoquebombas)

A morte vem de longe
Do fundo dos céus
Vem para os meus olhos
Virá para os teus
Desce das estrelas
Das brancas estrelas
As loucas estrelas
Trânsfugas de Deus
Chega impressentida
Nunca inesperada
Ela que é na vida
A grande esperada!
A desesperada
Do amor fratricida
Dos homens, ai! dos homens
Que matam a morte
Por medo da vida.

volatum disse: Gay <3

Puto

Anônimo perguntou: oiiii .-. preciso de conselhos .-.

Diga

(Fonte: involuntus)

(Fonte: botecagem)

Dedicatória

Pobre de mim 
Livro de asas largas
Ao longo de mim
procurei por ti
No oceano sem fim
sombrio e eterno
Nas terras desconhecidas
No alto inverno
Quase sem forças, cai alí
em páginas abertas
Quando no último pranto
Um pássaro em minhas páginas pousou
Falou-me com seu canto
Morreste amando
Morreste lutando
Morreste feliz.

-WHO

(Fonte: fumo-oxigenio)

Me entende, eu não quis, eu não quero, eu sofro, eu tenho medo, me dá a tua mão, entende, por favor. Eu tenho medo, merda! Ontem chorei. Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas.Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda- roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou.